top of page

Olhaduras  desejáveis e indesejáveis em Queijos

Prato de queijos

Cristina Haberl

Farmacêutica Industrial - Empresária

Se você é um queijeiro iniciante e faz queijos para consumo próprio talvez já tenha se deparado com esta dúvida:

 

Meu queijo estufou, está cheio de furinhos, posso consumir?

A resposta é: Difícil afirmar sem saber como o queijo foi feito.

 

Uma análise dos furinhos (olhaduras)  encontrados nos queijos devem ser detalhadas. Algumas são desejadas e são a marca registrada do tipo do queijo, outras não são desejáveis, provenientes de microrganismos prejudiciais contaminantes e de difícil diferenciação.

 

Tipos de olhaduras desejáveis:

  • Olhaduras grandes encontradas nos queijos tipo suíços com uso fermento lácteo comercial:

 

Estas olhaduras são encontradas a partir da adição de cultura selecionada  do microrganismo Propionibacterium freudenrichii subspecie shermanii em leite pasteurizado. Este fermento tem uma produção robusta de gás, com um poder maior de deslocar a massa do queijo e produzir as olhaduras grandes características, redondas e brilhantes, com diâmetro de 4 a 5 cm.  Para a expansão das olhaduras, a temperatura e umidade inicial são específicas para que o processo de expansão ocorra. Após o término da expansão, as condições ambientais são alteradas para que ocorra o refinamento e maturação do queijo.

Para que as olhaduras deste tipo ocorram o fabricante deste fermento recomenda  que o queijo seja grande (cerca de 50 quilos a peça) assim há área para que as olhaduras se expandam e uma não fique próxima a outra ou mesmo se forme uma olhadura colada com outra.

  •  Olhaduras pequenas encontradas em queijos do tipo colonial com o uso do fermento lácteo comercial:

As olhaduras pequenas, também redondas, são obtidas adicionando ao leite pasteurizado uma cultura contendo o microrganismo Lactococcus lactis biovar diacetylactis, que produz gás dióxido de carbono, porém em menor quantidade e força, a qual não é suficiente para abrir olhaduras grandes. Este microrganismo não precisa de condições especiais, podendo se desenvolver nas mesmas condições de temperatura e umidade ao da maturação dos queijos

512px-Tilsit_cheese.jpg
  • Olhaduras desejáveis de microrganismos provenientes do meio ambiente as quais dão a característica regional ao queijo.

Há classes de microrganismos, que ocorrem naturalmente no meio ambiente, não são prejudiciais, encontradas principalmente na silagem ou na atmosfera em um microclima específico propício para seu desenvolvimento e que também são produtoras gás.  Por serem próprias do meio ambiente, o leite deve ser obtido seguindo todos os cuidados de higiene previstos na legislação para que não precise ser pasteurizado. A pasteurização eliminará estes microrganismos.

 

Os microrganismos produtores de gás darão aos queijos características, únicas daquela região, que não são reproduzidos em outras regiões,  por não possuírem as mesmas condições climáticas, tipo de pasto, altitude, temperatura.

  • Olhaduras mecânicas

 

São as olhaduras que ocorrem devido a acomodação natural da massa do queijo não prensado. Produz espaços ligeiramente alongados, não arredondados São as olhaduras encontrados nos queijos do tipo minas frescal.

DSC_0185_edited.jpg

Voltando a questão inicial :

- O queijo estufou, posso consumir?

 

Se não houve adição de fermento lácteo produtor de gás comercial, se o queijo não for um queijo típico regional  com olhaduras desejáveis de microrganismos provenientes do meio ambiente, uma análise das condições gerais de obtenção do leite foi obtido.

  • O local de ordenha está limpo e as vacas não estercam na área?

  • O piso da sala de ordenha é lavável?

  • A limpeza do ambiente da ordenha é úmida (feita com água), sem que levante poeira?

  • Os tetos das vacas foram higienizados?

  • As vacas estão saudáveis, livre de mamite?

  • Os utensílios em contato com o leite e o preparo da receita do queijo estão devidamente higienizados?

  • O leite foi obtido com cuidados de higiene?

  • A água utilizada durante todo o processo de limpeza e preparo é livre de contaminantes?

  • O leite foi resfriado imediatamente após a ordenha (4°C)?

  • Se o leite não foi resfriado, foi processado logo após a ordenha?

  • O leite foi pasteurizado?

 

Queijo estufado é uma condição de fácil visualização e temos que ter o máximo de cuidado com um grupo de microrganismos prejudiciais, que também formam gás durante seu processo de multiplicação, é o grupo dos Coliformes, o que pode indicar uma contaminação fecal.  Esta classe de microrganismos utiliza a lactose para a produção de dióxido de carbono. Vale lembrar que o leite é um meio de cultura riquíssimo e a temperatura na hora que é ordenhado é ideal para a multiplicação de não somente coliformes, mas outros contaminantes também.

 

Infelizmente não conseguimos diferenciar as olhaduras produzidas por microrganismos prejudiciais, dos não prejudiciais. Portanto se o queijo estufou, o número de furinhos é maciço, a obtenção do leite não seguiu cuidados de higiene, foi feito de leite não pasteurizado, não podemos afirmar quais microrganismos se desenvolveram, porém as probabilidade de serem do grupo coliforme é grande. 

 

Para queijos feitos de leite crú e que são comercializados,  há legislação própria que varia de estado para estado. A recomendação em linhas gerais, por medida de segurança é de manter o queijo em um período de maturação aproximado de 60 dias (esse período varia de estado para estado), Neste tempo de maturação todas as células contaminantes finalizaram seu ciclo de vida. Este período porém não garantirá que o queijo seja próprio para consumo.

Leia também: O que deu errado com meu queijo?

furinhos.jpg

 Crédito da foto www.leiteederivados.com.br

bottom of page